“Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou à posição de rainha? “

Tudo começa com uma festa badalada. Não uma qualquer, mas um evento social sofisticadíssimo que durou bastante tempo. Homens e mulheres curtiam separadamente. As amigas da esposa estavam em um local, enquanto os maridos foram para outro. Até que o dono da festa chamou a mulher. Ele queria mostrá-la para os convidados dele, afinal ela era belíssima. Mas ela se recusou a ir, envergonhando o marido. E a história daquele casal tomou outro rumo depois disso. Ele se sentiu desrespeitado. Ela discordou. Ele, como homem poderoso que era, não aceitou o desaforo e terminou o casamento.

Contando assim pode-se imaginar que estamos falando de um casal endinheirado qualquer. Mas esta é, na realidade, a história de uma antiga família real persa, descrita na Bíblia. Estamos falando do rei Assuero e da rainha Vasti, que são personagens do livro de Ester. Este foi o tema da reunião desta semana e a estratégia que Deus me deu para compartilhar essa mensagem foi contar a história como se fosse uma novela ou um romance de um livro.

Agora que você já sabe do que estamos falando, vamos contextualizar o que acontecia no mundo naqueles dias. A história do povo de Israel foi marcada muitas vezes pela desobediência a Deus e pelas consequências do pecado. Uma delas foi a dispersão dos judeus em diversos momentos ao longo das gerações. A família de Ester era judia, mas vivia exilada na Pérsia, assim como muitas outras pessoas que tinham o mesmo sangue. Naquele tempo Ester era apenas uma jovem comum.

Depois que o rei Assuero se separou da rainha, ele decidiu se casar novamente. Para escolher uma esposa que correspondesse às exigências da posição, foi feito um concurso de beleza entre as virgens do reino. E é assim que a história de Ester, uma simples exilada judia, se cruza com a do monarca persa.

Após um longo período de preparação ela foi eleita a nova rainha. Mas não foi um processo fácil. Durante seis meses ela foi submetida a tratamentos de beleza, e teve que disputar com outras mulheres o coração do rei. Durante este tempo Ester buscou conselhos de quem o conhecia e seguia as orientações do tio Mordecai, com quem ela vivia antes de se mudar para o palácio. Um dos conselhos dados pelo tio era que ela não revelasse a sua origem. Ester não deveria contar a ninguém que era judia. Ela obedeceu, e assim, quando o concurso chegou ao fim, ela foi coroada.

Enquanto Ester vivia seu conto de fadas, uma outra trama paralela se desenrolava na Pérsia. Um funcionário do rei planejava matar Mordecai e acabar com os judeus que viviam naquela região. O tio de Ester descobriu tudo e recorreu à sobrinha, que agora era rainha.

“Quem sabe se não foi para um momento como este que você chegou à posição de rainha? ” (Ester 4.14)

Foi assim que uma judia se viu no centro de um momento histórico, no lugar certo, na hora certa, com poder de influência para salvar o próprio povo. O relato bíblico nos deixa claro que não foi fácil para aquela jovem enfrentar o medo, os protocolos rígidos, para pedir a Assuero que tomasse uma decisão política. Mas com muita coragem e humildade ela se aproximou do marido. Com sabedoria ela revelou o plano macabro elaborado pelo funcionário em quem ele confiava, e assim encontrou o favor do rei.

Ester nos mostra que a humildade não exclui a inteligência. Ela cumpriu o propósito para o qual foi colocada por Deus naquela posição. O povo judeu foi salvo. Mordecai foi honrado. O inimigo foi envergonhado.

Curiosamente o nome de Deus não é citado em nenhum momento neste livro. E é o único da Bíblia onde isso acontece. Mas isso não quer dizer que Ele não estava agindo, enquanto uma trama diabólica estava sendo orquestrada. O Senhor trabalhava nos bastidores, conduzindo Mordecai e Ester a agirem com sabedoria, estratégia, inteligência e temor a Ele. Ainda que o povo judeu estivesse no exílio, o Senhor não os tinha abandonado.

O mesmo acontece conosco. Às vezes não O vemos com os olhos físicos e podemos nos sentir distantes. Podemos até duvidar da presença dEle. Mas o Senhor está no pano de fundo, escrevendo e conduzindo a nossa história. Ester é a prova disso.

Ester não sabia, mas foi coroada não apenas para viver uma grande história de amor. É claro que Deus se preocupa com as nossas necessidades pessoais, mas ela entendeu que foi colocada em uma posição estratégica com um propósito.

O mesmo acontece conosco. Também devemos compreender que estamos onde estamos por uma razão maior do que as nossas próprias vidas. Por causa de algo superior aos nossos desejos particulares. Por isso devemos e podemos usar nosso poder de influência, o contexto onde estamos inseridas, para os fins corretos, e para aquilo que Ele nos direcionar. Devemos confiar que quando Deus escreve a nossa história, nada é por acaso. Tudo faz parte do plano desenhado por Ele, ainda que em alguns momentos as situações não sejam tão claras.

Encerramos a reunião entregando a cada mãe um cupcake, com o seguinte versículo:

“O rei pôs-lhe na cabeça a coroa real e a fez rainha” (Ester 2.17)

E também deixamos todas com a seguinte pergunta para pensar:

“Para que você foi coroada?”.

Pare e pense nas circunstâncias ao seu redor. Talvez você foi colocada por Deus, na posição onde está hoje, para agir como Ester. Agora basta você agir com inteligência, com sabedoria, com humildade, para encontrar o favor do rei.

Que Deus te abençoe!

 

Quem postou?
Compartilhe!