Sogras e Noras: um relacionamento além das piadas!

 

Todo mundo conhece piadinhas entre sogra e nora. O problema é quando elas retratam uma realidade que várias pessoas vivem. E é sobre esse relacionamento, muitas vezes conturbado, que a Monique Valente compartilha conosco.

“A Bíblia nos ensina a honrar pai e mãe. Quando nos casamos nos tornamos um com os nossos maridos. Portanto passamos a ter a responsabilidade de honrar com os nossos cônjuges os pais deles, além dos nossos.

A Palavra de Deus traz uma história linda que aborda esse assunto. No livro de Rute, no Velho Testamento, acompanhamos o relacionamento de Noemi, a sogra, com as noras, Rute e Orfa. A Bíblia nos conta que Noemi e o marido se mudaram de Belém para Moabe. Na terra nova os filhos se casaram. Porém, os três homens da família faleceram deixando as mulheres viúvas. Noemi então decide voltar para a cidade de onde veio, já que não tinha mais herdeiros nem laços naquela região. Com a bênção da sogra, Orfa segue o próprio caminho, mas Rute se nega a voltar para a vida que tinha antes de se casar. O trecho da Bíblia que traz a fala de Rute para Noemi é uma das mais belas das Escrituras:

‘Disse, porém, Rute: Não me instes para que te abandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres morrerei eu, e ali serei sepultada. Faça-me assim o SENHOR, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti.’ (Rute 1.16,17)

Com esse compromisso firmado entre elas, as duas mulheres pegam o mesmo caminho para Judá. Lá Deus restaura a sorte das duas viúvas. Com a ajuda de Noemi, Rute se casa novamente com um parente do marido falecido, conforme o costume da época. Rute e Boaz têm um filho, chamado Obede, e juntos entram na genealogia de Jesus Cristo. Que destino glorioso! E Noemi foi incluída por Rute na nova família, de forma que todos puderam ver. É o que está escrito em Rute 4.14-16:

’Então as mulheres disseram a Noemi: Bendito seja o SENHOR, que não deixou hoje de te dar remidor, e seja o seu nome afamado em Israel. Ele te será por restaurador da alma, e nutrirá a tua velhice, pois tua nora, que te ama, o deu à luz, e ela te é melhor do que sete filhos. E Noemi tomou o filho, e o pós no seu colo, e foi sua ama.’

Rute honrou a sogra até o fim. Até quando elas não possuíam mais essa relação de sogra e nora. E assim Rute também foi honrada por Deus.

O padrão de Deus para os relacionamentos entre sogras e noras é Rute e Noemi. Um relacionamento marcado pelo respeito, pelo amor, pela honra. Mas se não chegarmos a tanto precisamos aprender pelo menos que o Senhor nos ensina a amar os nossos inimigos (com o perdão da piadinha!).

Claro que é fácil honrar os pais de nossos maridos se eles são legais, amorosos e cheios de Deus. Se eles nos respeitam, se nos tratam bem e nos aceitam. Mas e quando eles nos humilham, desacatam, maltratam e tem princípios errados? Será que no segundo caso estaríamos livres de honrá-los? Não. Não estaríamos e nem estamos.

A questão é que a honra não depende de como a pessoa é, mas sim da posição que ela ocupa. Como a Presidente da República, por exemplo. Eu até posso discordar de tudo o que ela faz, mas se eu desacatá-la eu vou presa. Ela tem autoridade pela posição. É um direito adquirido. E isso ninguém pode negar.

Deus nos ensina a respeitar as autoridades. A nossa sociedade tem perdido os valores como um todo, mas principalmente a honra e o respeito. Quando eu era pequena e ia com minha mãe para o interior e passava pelo padre eu tinha que beijar a mão dele. Se passasse por uma autoridade, um juiz por exemplo, eu tinha que descer do passeio para ele seguir. Porém Deus não muda e muito menos Seus valores podem ser alterados. Precisamos honrar nossos pais e os pais daquele que é um conosco, independente de como eles são ou de não merecerem.

Em Provérbios está escrito que a palavra branda desvia o furor. Ou seja: a nossa reação pode mudar a outra pessoa. Se eu for uma fonte de amor, demonstrar sempre o fruto do Espírito Santo que habita em mim, aos poucos eles podem até ir mudando o proceder. Mas mesmo se não mudarem e o relacionamento continuar difícil, não podemos alterar aquilo que Deus espera de nós.

O padrão de Deus sempre é alto, mas é Ele mesmo que nos capacita a atingi-lo. Cristo vivendo em nós e através de nós. Aos olhos humanos pode parecer impossível, mas para Ele essa palavra não existe!

Por isso, que possamos ser como Rute. Que a nossa decisão seja sempre guiada pelo amor para que os nossos relacionamentos sejam excelentes. E que as experiências ruins com os nossos sogros sejam completamente transformadas, para que as famosas piadinhas, não passem de brincadeiras de péssimo gosto.

 

 

Quem postou?
Compartilhe!

E os meninos?

No último post falamos sobre a importância dos pais tratarem as filhas como princesas, para que elas saibam o que esperar de um homem no futuro. Existe inclusive um ministério, chamado Escola de Princesas, que promete ensinar as meninas a se portarem como tais, resgatando valores, reforçando hábitos saudáveis e criando referenciais.

Mas e os meninos? Onde eles ficam nessa história? Bem, eles também precisam de referências. Se queremos que as nossas filhas saibam o que esperar dos companheiros no futuro, devemos preparar os meninos para tratá-las de tal maneira. Por isso os pais devem se preocupar em formar nestes garotos, homens que sabem como respeitar uma mulher. Infelizmente poucos são os pais que se importam em passar tempo junto com os filhos homens, investindo no relacionamento individual e ensinando gestos de cavalheirismo, como: abrir a porta de um carro, puxar a cadeira, oferecer o braço, estender a mão, falar palavras boas.

Os meninos precisam conviver com os pais. Eles precisam aprender como ser um bom homem, como ser o chefe de uma família, como se relacionar. E nada melhor do que ter um bom exemplo em quem se espelhar. Por isso, encoraje seu marido a passar um tempo a sós com os seus filhos. Estabeleça um dia para que eles tenham um momento especial dos meninos. E que assim saiam para conversar, para se olhar nos olhos, para criar vínculos e um bom referencial.

Além disso, as crianças se espelham no relacionamento dos pais. Não há nada melhor para elas do que verem dentro de casa o pai e a mãe felizes, se amando, se respeitando, se tratando com honra. É no ambiente familiar que eles passam a ver que as mães também são esposas, e que os pais são maridos.

Se queremos influenciar as próximas gerações, está na hora de ensinar bons modos para as nossas crianças, meninos e meninas. E isso depende apenas de nós.

Quem postou?
Compartilhe!

Princesa do papai!

Toda menina cresce rodeada pelas histórias de princesas. Nos contos de fadas elas moram em castelos, usam roupas rodadas, e sempre encontram um príncipe encantado que as tratam com amor, dignidade e honra. E assim podem desfrutar de um final feliz!

O apresentador Marcos Mion, pai de 3 crianças, postou nas redes sociais que ele faz questão de que a filha de 7 anos saiba que é uma princesa de verdade! Como? Separando tempo só para ela. Veja o que ele escreveu!

http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2015/09/04/mion-mima-a-filha-para-ensina-la-que-toda-mulher-deve-ser-bem-tratada.htm

Muitas meninas crescem sem o mesmo privilégio da pequena Donatella. E assim correm o risco de não enxergarem o valor que têm, como garotas amadas, preciosas, dignas de serem bem tratadas. Muitos pais não têm tempo ou simplesmente não acham que seja importante investir individualmente em cada criança. Aí o tempo passa, as meninas crescem e esperam encontrar atos de afeto nos relacionamentos amorosos com os príncipes da vida real. Mas o mundo pode ser cruel, e nem sempre elas chegam a um final feliz.

Essa acaba sendo uma estratégia muito usada pelo inimigo para ferir, traumatizar e deixar marcas que afetarão os relacionamentos futuros, criando uma geração de mulheres sem identidade, sem referencial e frustradas. Mas tudo isso pode ser revertido com amor. O amor demonstrado em gestos pelo primeiro homem da vida delas: o pai.

Que essa atitude linda compartilhada pelo Marcos Mion possa influenciar outros pais a valorizar as filhas, a investir tempo, a mostrar como age um homem de verdade.

Palmas para esse papai!

Quem postou?
Compartilhe!