Carnaval: Participar? ou não participar?

Estamos em pleno carnaval. Pelas ruas vemos muitas pessoas fantasiadas atrás dos blocos, a TV transmite desfiles e na internet parece que não existe outro assunto. Mas e nós, cristãos? Onde nos encaixamos nisso? O que ensinar e como ensinar aos nossos filhos?

Na semana passada, antes do feriado, meu filho de 6 anos sabia que na sexta-feira a escola teria uma programação temática. E ele me surpreendeu quando me disse:

“Mãe, não vou a escola porque vai ter carnaval”.

Eu já tinha decidido que não iria enviá-lo, só que ainda não tinha falado. Porém, ao longo dos anos venho trabalhando com meus dois filhos que esta é uma festa que não condiz com aquilo que acreditamos. Sempre fiz isso de uma forma leve. Desde bem pequenos eu explicava as razões pelas quais eles não iriam participar. Logo, é natural que ele mesmo já faça escolha por conta própria. E foi exatamente o que ele fez.

O carnaval pode ser uma festa colorida e animada. Mas as consequências dele não. Por causa da gravidez indesejada jovens são obrigadas a lidar com a maternidade antes da hora. Algumas optam pelo aborto. Por causa da livre oferta de bebida, pessoas se despertam para o alcoolismo. Com o fácil acesso às drogas, jovens mergulham nesse universo que pode ser sem volta.

Quando converso sobre o carnaval com os meus filhos, não fico falando que a festa em si é pecado. Mas eu mostro para eles as consequências que ele pode trazer. E isso sim é ruim. Afinal, essa é uma festa que promove vários atos condenados pela Bíblia, como a sensualidade, por exemplo.

Veja o que está escrito em Oséias 4.10,11:

“Os sacerdotes estão me abandonando e adorando outros deuses. Por isso comerão dos sacrifícios que o povo me oferece, mas não ficarão satisfeitos; adorarão os deuses da fertilidade, mas não terão filhos. Deus diz: — O meu povo está perdendo o juízo porque anda bebendo muito vinho”.

Nesses dias da festa da carne vemos pessoas que só querem beber mais, dançar mais, beijar mais, curtir mais. Elas agem como se nunca estivessem satisfeitas. Parece muito com o que Oséias descreve.

Se somos guiados pelo Espírito Santo, se amamos o Senhor e nos importamos com tudo aquilo que Ele ama, então devemos evitar o que Ele condena. Se amamos o Senhor vamos nos preocupar com o que Ele pensa sobre nós, e não com o que as pessoas vão dizer. Ir para escola fantasiado pode parecer algo simples, inocente. Mas se mostramos para os nossos filhos que não tem problema participar do carnaval enquanto são crianças, provavelmente eles não entenderão por que os proibimos de ir quando são adolescentes. Então, se falarmos com eles enquanto são pequenos, eles vão internalizar esse ensinamento aos poucos, até que se torne natural.

Está escrito na Bíblia para ensinarmos nossos filhos no caminho em que devem andar, para que quando crescerem eles não se desviem. É isso que devemos fazer. Esse é o nosso dever

Quem postou?
Compartilhe!